Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Gato de Schrödinger

Aplicando-se o formalismo quântico, o gato estaria por sua vez combinando 50% de "gato vivo" e 50% de "gato morto", correspondendo a dois estados indistinguíveis!

O Gato de Schrödinger

Aplicando-se o formalismo quântico, o gato estaria por sua vez combinando 50% de "gato vivo" e 50% de "gato morto", correspondendo a dois estados indistinguíveis!

Campo magnético do sol prestes a inverter-se

Faltam dois ou três meses para ocorrer a completa inversão de polaridade do sol, um fenómeno ciclico, que ocorre a cada 11 anos, sem grandes impactos significativos na terra, por isso não são esperados gatos voadores ou outros fenómenos anormais, pelo menos não devido ao fenómeno solar.

Imagem: Wikimédia Commons / Por Penyulap [CC-BY-SA-3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

 Tal como o planeta terra, também o sol possui um campo magnético, resultado dos fluxos internos de plasma e gáses, circulando de um polo para o outro, e, a cada 11 anos, a força deste campo magético é redizida a zero até que se inverte, como parte do ciclo solar. Em termos terrestres, isto seria como se as bússulas indicassem o Norte correctamente durante 11 anos, e nos 11 anos seguintes, tomassem o Polo Sul como Polo Norte, dada a inversão.

 

Apesar de não serem esperados gatos voadores ou outros fenómenos paranormais, isto não significa que o fenómeno não tenha repercursões fora das próximidades do Sol. Afinal, Galileu não perdeu a cabeça por nada ao afirmar que a Terra girava em torno do Sol e não o contrário, e é de conhecimento geral de que o Sol é o centro de um enorme e complexo Sistema Solar. E isto deve-se precisamente ao seu campo magnético.

 

Este campo magnético influencia uma vasta região espacial, muito além de Plutão, região conhecida como Heliosfera.

 

A Heliosfera é uma superfície electricamente carregada, que parte do equador solar e espalha-se pelos confins do sistema solar, além de Plutão.

Corrente Heliosférica. Imagem: Wikimédia Commons / Por Werner Heil

 

A inversão causará a "folha" tornar-se mais ondulada, fazendo com que a terra a atravesse mais vezes, o que originará potencialmente mais temprestades espaciais em redor do planeta azul, que por sua vez provocam perturbações nos satélites e sistemas de comunicação, mas nem tudo são más notícias. Quando não está a provocar perturbação nos satélites, serve de protecção contra  raios cósmicos vindos do espaço exterior, raios normalmente prejudiciais a astronautas e satélites no espaço. Além disso, estes raios cósmicos ionizam a atmosfera superior da Terra, afectando a formação de nuvens, tempestades e trovoadas, fazendo com que as tempestades terrestres sejam potencialmente menos intensas. Boas notícias, portanto.

 

Saber mais: NASA Science News - The Sun's Magnetic Field is about to Flip